top of page
png_20221201_190642_0000.png
  • Leonor Buzaglo

Isolamento

Atualizado: 25 de jun. de 2023

Como lidar com o isolamento, as frustrações e benefícios provenientes.

Acredito que a natureza nos ensina.

Ao cuidar de uma planta observo como em primeiro lugar precisa de uma terra limpa e cuidada, de seguida precisa de nutrição e energia, assim como amor e consistência nestes elementos.

Observo como também o ser humano precisa destes mesmos cuidados:

O elemento limpeza ou purificação, em sânscrito “Sauchan”, é um ensinamento ancestral que o Yoga nos transmite. A limpeza do corpo e da mente, purificando o organismo assim como os pensamentos e emoções através da prática de Yoga. Incluindo a purificação do ambiente em que vivemos, não só em casa, mas contribuindo para um mundo mais puro.

Na limpeza da nossa casa, limpando os cantos mais difíceis e eliminando aquilo que já não nos serve. Talvez um sótão arrumado nos faça encontrar agora um livro que há muito procurávamos. E que esta mesma atitude de limpeza se estenda à nossa mente, e ao nosso corpo.

Lembrar que a meditação não ocorre apenas numa postura sentada e de olhos fechados, mas numa existência consciente e plena a cada momento, presente em cada acção, pensamento e respiração. A cada palavra escrita, cada pincelada de tinta, cada nota de música ou passo de dança. Entregue.

Realize cada tarefa do dia-a-dia com consciência, atenção e entrega - Karma Yoga, o desapego pelo resultado da acção.

Como disse Thich Nhat Hanh: “Lave a loiça por lavar”. Se ao lavarmos uma chávena de chá estivermos apenas com a mente direcionada para o chá que nela iremos servir também o chá não será saboreado e a mente viverá sempre no futuro.

Apesar de neste momento não podermos receber hóspedes na nossa casa limpa e arrumada, surgirão ainda assim diferentes hospedes na nossa mente. Receba-os a todos sorrindo, mesmo à raiva, tristeza e o medo. Observar porque vieram, às vezes de tão longe e o que tem para nos mostrar ou ensinar. Sejam visitas inesperadas que surgem a meio do nosso dia, ou em meditação com recetividade à sua chegada, receba-os sem apego ou aversão e permita que sigam o seu caminho. Aceitando que certo pensamento, emoção ou sentimento surgiu, está presente neste momento, mas não nos define ou caracteriza.

Os nossos ambientes, internos e externos, estão em constante interação e influência. Factores como o stress, dieta, exercício e sono, tem um impacto profundo na nossa saúde sendo importante incluí-los no elemento “nutrir”.

Nutrir não só de energia recebida através dos nutrientes numa alimentação rica e equilibrada, mas também através do sono regularizado, da prática de yoga (também a prática de outras actividades física será benéfica, o importante é criar movimento, fluidez e energia), de uma rotina saudável.

A prática de Yoga é composta por exercícios psicofísicos, incluindo exercícios respiratórios (pranayamas), relaxamento e meditação, um conjunto de elementos com inúmeros benefícios, como a estimulação da circulação sanguínea, da drenagem linfática e dos órgãos internos; maior oxigenação e produção de endorfinas, assim como o fornecimento de espaço e ferramentas para que o corpo e a mente estejam em harmonia e relaxamento, permitindo ao sistema nervoso um estado de repouso, activando o sistema parassimpático e permitindo a regeneração do nosso organismo a nível celular, a homeostase. Todos estes factores que dão suporte e fortalecem o nosso sistema imunitário.

Que a prática de Yoga seja também um momento de amor, aceitação e união com o próprio e o mundo. Permitindo uma atitude de entrega perante o presente que se manifesta.

Quando a perceção define que tudo o que está ao nosso redor é temporário e está em constante mudança, estabelecemo-nos a partir de dentro, um sentimento que “isso também passará e não permanecerá para sempre” surge em nós e liberta-nos da ansiedade.

Trabalhando outro ensinamento que o Yoga nos transmite, Santosha, o contentamento. Consiste em cultivar um estado interno de satisfação e alegria, independentemente das circunstâncias externas, apreciando o que temos e adotando uma atitude alegre face ao que não possuímos.

A nossa constituição, necessidades e existência em muito difere de uma planta obviamente, ainda assim observo-me metaforicamente como uma. É no isolamento, no silêncio e no esforço que a semente brota, é com nutrição e amor que enraíza, transforma e alcança o seu potencial.

Lembro também que as raízes são restringidas pelo vaso em que é colocada, e no nosso caso o vaso é apenas mental. Retire os limites impostos e observe o que se manifesta.

Leonor Feron Buzaglo

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page